6 dicas para fazer um cartão de visita sensacional! | Designers Brasileiros
Dicas

6 dicas para fazer um cartão de visita sensacional!

Via: Shutterstock

O cartão de visita é uma espécie muito particular de divulgação e propaganda. Datada de séculos atrás, o hábito da troca de cartões de visita é a maneira mais pessoal de se trocar informações e ser lembrado no mercado de trabalho.O cartão de visita é a representação de algo essencial para um ser capitalista: se vender!

Em se tratando de um cartão de visita  designer, o cartão de visita tem uma forte obrigação de impressionar. O seu cliente quando receber seu cartão, terá o primeiro julgamento sobre a qualidade da sua arte, do seu trabalho.

Por isso, seu cartão de visita não pode ser nada menos que impressionante! Se ele não for, é como se o seu cliente recebesse um portfólio ruim do seu trabalho.  Então não perca tempo! Melhore o seu cartão de visita que isso vai impactar fortemente o seus resultados.

Para isso, separamos seis dicas matadoras para você não fazer feio e ganhar o seu cliente já na troca de cartões de visita.

1 – Que história o seu cartão conta?

O objetivo número 1 de um cartão de visita é informar. Informar seu nome, seu contato e o porquê guardar o seu contato é importante. Se você é um designer gráfico, a primeira coisa que qualquer pessoa precisa ao pegar o seu cartão é “Opa… esse cara é designer gráfico”.

Se você não valorizar isso em seu cartão, a chance das pessoas esquecerem o motivo de guardarem aquele cartão é enorme. E aí você perde um cliente em potencial.

Por isso defina quais as informações mais importantes antes de iniciar o projeto. Qual é o contato mais importante para a pessoa te encontrar? Se você se comunica via skype, ele precisa estar lá e fazer seu papel: Informar.

Além disso, é muito importante lembrar de outra coisa: você está vendendo um produto, uma marca ou um serviço em seu cartão, logo você é um vendedor! Trabalhe com estratégia e venda a si mesmo com seu cartão

2 – Escolha um modelo prático

Escolha um modelo prático

A compreensão da maneira de como você vende o seu trabalho é fundamental na escolha de qual será o modelo do seu cartão de visita. Vamos pegar, por exemplo, os principais modelos de uma gráfica, e vamos avaliar como cada um deles pode ser útil na sua estratégia.

Se você trabalhar com um modelo em papel Supremo, você tem a opção de escrever no verso do cartão. Logo, ele costumeiramente é usado por profissionais que dão detalhes de orçamento por escrito.

Vários médicos usam esse modelo para marcar retornos de seus pacientes ao consultório. Você pode pensar em algo do gênero? Se sim, é um modelo a se pensar, caso contrário é melhor não.

Os modelos com Verniz Total são os mais comuns. Neles a parte de frente do cartão é completamente envernizada. Dessa maneira, o cartão ganha um brilho intenso em toda essa superfície. Você pode optar também por envernizar a frente e o verso, dessa maneira.

Qual é a utilidade disso? Seu cartão vai ganhar um destaque grande ao ser visto de longe. Vamos supor que você planeja deixar uma grande quantidade de cartões em um comercio local. Imagine os vários cartões colocados em cima da mesa desse comércio. Imagine uma luz vindo da janela e atingindo vários cartões. Pense no seu cartão, com cores específicas que brilham bastante, ele terá muito mais destaque.

Agora, se sua estratégia é bem mais pessoal, você quer apenas a atenção de quem vai receber seu cartão em mãos, e você tem certeza absoluta que todos vão ver ele com atenção, talvez você prefira utilizar um modelo com laminação fosca, e aplicação de verniz em pontos específicos.

Quando você assume esse modelo para o seu cartão de visita, você cria pontos de destaque maior exatamente onde isso for mais interessante pra você. É na logo da sua empresa? Coloca o verniz lá. É no seu nome? Você que decide!

3 – Elemento de Destaque

Fazer um cartão de visita é tomar decisões. Nós já dissemos isso, na parte do texto. Mas visualmente isso também é importante. Você precisa ter um elemento de destaque. Apenas isso! Um cartão de visita em geral é um material pequeno, você sabe disso.

Se você colocar o seu logo no meio, mais alguns rostos na lateral, o logo dos softwares que você trabalha, coloca a palavra “Designer Gráfico” com a letra O com as quatro cores do CMYK e várias chamas com baixa opacidade por cima de tudo isso, você terá uma arte absolutamente cafona, confusa e desnecessária.

Por isso escolha um elemento principal e trabalhe que toda a harmonia do seu cartão será em torno desse elemento.

A mesma coisa pode ser dita dos efeitos, eles dão uma aparência melhor na arte, mas se você usar muitos efeito distintos na sua arte, o seu trabalho pode se perder em meio ao caos. Por isso, utilize poucos efeitos, mas efeitos bem feitos. Menos é mais, acredite!

4 – Tipografia e Lettering

Tipografia e Letering

 

Uma decisão bem importante que você precisa tomar é em relação as fontes que vão ser utilizadas. Em primeiro lugar, você vai utilizar tipografia ou lettering?

Não caia na mentira que é tudo a mesma coisa, que tipografia compreende todas as fontes textuais e, por isso, lettering é apenas uma palavra diferente para falar a mesma coisa. Isso não é verdade!

O Lettering veio antes da tipografia. Surgiu junto da caligrafia: Significava desenhar as palavras de maneira criativa. Alguns dos grandes monges copistas foram mestres do Lettering.

Atualmente, quando falamos em Leterring, nos referimos  a criação de uma fonte absolutamente diferente, para um uso único. Ou seja, criar uma fonte para um uso específico. Essa fonte só vai existir para aquele fim que foi pensado.

Já a tipografia tem uma pegada mais industrial, de máquina. Tanto que tipo vem de typo, que é o nome da peça que batia no papel marcando as letras em uma máquina de escrever ou uma impressora de jornal.

A diferença principal entre as duas é que a fonte é criada para ser usada de maneira continuada. Os tipográficos vendem (ou distribuem gratuitamente) a fonte para qualquer uso.

Voltando ao seu cartão de visita, se você decidir criar uma tipografia específica para o cartão, você utilizará lettering, e quem souber disso, quando pegar o seu cartão de visita, vai entender que você sempre produz lettering no seu trabalho. Se você decidir por trabalhar com um uma tipografia já existente, isso não vai acontecer.

Logo… novamente a produção do seu cartão de visita deve refletir o seu trabalho.

5 – Psicologia das Cores

Você com certeza sabe que as cores trazem resultados específicos do ponto de vista psicológico.  Então o vermelho vai te trazer um tipo de energia completamente diferente do amarelo, que do verde e assim por diante. Você tem conhecimento a cerca disso, afinal de contas é um designer, certo? Então por que não usar em seu próprio cartão de visita?

O que a gente costuma ver em cartões de designer é uma enxurrada de cores, extremamente harmônicas e bonitas, mas que não parece mostrar nenhuma estratégia de neuromarketing. Você sabe utilizar essa ferramenta, então use!

Que sensação você quer trazer para o seu cliente? Conforto e segurança? Emoção e senso de aventura? Desejo? Inquietação? Prosperidade? Acerte a cor e garanta o melhor resultado para o seu trabalho!

6 – Garanta uma Produção de Qualidade

Garanta uma Produção de Qualidade

Por fim, de nada vai adiantar se você produzir sua arte com todo o cuidado do mundo, e a impressão sair ruim, certo? Por isso, aqui ficam algumas dicas que podemos dar para evitar problemas de impressão

  • Trabalhe desde o início do processo no formato de cores CMYK. Nunca mande nada em RGB para uma gráfica.
  • Converta todas as fontes em curvas, evitando assim de ter problemas de fontes indesejadas.
  • Respeite as margens de segurança. Você vai encontrar essas margens no padrão do produto que você escolheu
  • Use sempre imagens de alta resolução.
  • Trabalhe cores com um limite máximo de 280% de carga de cor. Em geral, trabalhar acima disso traz mais problemas a produção.

Por fim, recomendamos sempre escolher uma gráfica de confiança, que te ajude no processo da impressão. Eu sempre recomendo a gráfica Atual Card, uma vez que ela é a pioneira do processo gráfico comprado via internet. Isso da ela uma confiança maior para quem está comprando. Além disso o mix de produto deles permite ser mais criativo no trabalho.

Bom, é isso aí que podemos ajudar você. Siga esses passos, seja criativo e faça um cartão de visita que todos vão lembrar. Você vai vender muito!

Sobre o autor

Dalmir

Dalmir

Dalmir Junior é fundador do Designers Brasileiros e Coordenador de Criação na Prefeitura de Franco da Rocha.

Comentários no Facebook