A morte lenta do Facebook | Designers Brasileiros
Facebook Google Redes Sociais

A morte lenta do Facebook

Na tarde da última sexta-feira, dia 06 de dezembro, o Facebook sofreu um grave acidente na Califórnia, mas que atingiu o mundo inteiro. No momento, seu estado é grave e respira por aparelhos! Veja mais a seguir:
O Facebook nasceu em 2004 e a história todos nós ficamos conhecendo através do filme “A Rede Social”. No final de 2011 ele ultrapassou o Orkut como a rede social mais usada no Brasil, e em outubro de 2012 atingiu a marca de 1 bilhão de usuários ativos mensais em todo o mundo! Em 2014 ele irá completar inacreditáveis 10 anos! Apenas 10 anos! Ou seja, quase nada! E em pensar que nesse pouco tempo (se formos analisar analogicamente, porque tecnologicamente é bastante), muito provavelmente a grande maioria dos usuários nunca imaginou que o Facebook pudesse morrer, não é mesmo?!
Falar de Facebook é como falar de Internet, eu não lembro de como era minha vida antes disso, você se lembra? É inimaginável ficar sem nosso perfil, sem nossos amigos, páginas, grupos, fotos, referências, conversas… (muito dramático, mas é mais ou menos isso).
No último dia 06 (foi quando começamos a perceber), o Facebook mudou um algoritmo fazendo com que todos nós recebamos muito menos atualizações na nossa timeline. É ridículo curtir um monte de páginas, ter um milhão de amigos e simplesmente não receber as coisas. Ok, talvez ele nunca tenha nos mostrado TUDO, mas até sexta-feira passada, estava dentro da normalidade e da aceitação. Só que a partir daí, ele elevou o grau de inutilidade das coisas/páginas/pessoas a um nível jamais visto. Nossa experiência ficou claramente afetada.
No gráfico abaixo você verá a diferença de acessos do site de nosso parceiro Design & Chimarrão nas datas anteriores e posteriores a 6 de dezembro. (Obs: o Design & Chimarrão é uma página recente ainda, 3 meses, mas em completa expansão – e é normal ter uma queda de acessos nos finais de semana/feriados, mas como podem ver, não existe uma outra explicação para a brusca queda – e se pra nós já fez muita diferença, imagina para as páginas maiores). Você pode se perguntar qual a relação do site com a fanpage, certo? É que quase 70% dos acessos do site são originários do Facebook, nosso principal canal de divulgação.

Untitled-1

Agora veja a diferença dentro do próprio Facebook (também a partir de 6/12), em números de “quantas pessoas visualizaram os posts da página”:

Untitled-2

Conseguem perceber a diferença? Não está tão baixo porque as postagens foram ruins ou não agradaram, está baixo porque as pessoas simplesmente NÃO VIRAM, não receberam! E estou mostrando isso como um produtor de conteúdo, ou seja, como “quem faz e dá a notícia”, agora, todos nós como usuários, temos que nos colocar ali naquela parte bem debaixo, ou seja, poucas pessoas são atingidas, a gente acaba recebendo muito pouco de tuuuudo o que curtimos e seguimos.
O mundo moderno é feito de escolhas, não de imposições! #ficaadica
Se eu escolho curtir e assinar uma página é porque eu quero receber seu conteúdo, não? O problema é meu se curto 2 ou 200. Virou sorteio agora? Ou ainda, o Facebook resolveu monopolizar e decidir o que eu devo ver e o que não? Como assim? Está parecendo plano de operadora de celular: “opa, você ultrapassou sua cota de recebimento de posts do dia, para receber mais, faça uma recarga…”
Ah, sim, quanto ao acidente do Facebook, foi muito grave e o estado vegetativo é o próximo passo, talvez demore, afinal são mais de 1 bilhão de pessoas usando, mas é triste ver o seu definhamento!  Ver ele errar e não poder fazer nada! E ver ele priorizar o seu próprio ganho (bilhões não são suficientes?) ao uso social e profissional de todos os seus usuários. A esperança é a última que morre, talvez ele consiga ver a luz branca no final do túnel, converse com Deus e se arrependa de todos os seus pecados. Milagres existem!
E já que não podemos alcançar a todos os nossos fãs pelo Facebook, decidimos criar nossa página no Google+, que se mostra uma excelente opção para isso. Siga o Designers Brasileiros, lá a nossa página é mais modesta, mas é de coração! E principalmente, lá você tem a certeza de estar recebendo tudo que você seguiu e deu +1 😀


Enquanto o Facebook lutar para viver nós continuaremos utilizando e atualizando nossa página, não se preocupem 😉 Mas assim como a gente, considere e dê uma segunda chance ao Google+, ele merece. E principalmente, todos nós como usuários, merecemos, respeito para com as nossas escolhas e informações!
Obs: de repente, vale uma última tentativa (mesmo sem saber mais se isso ainda adianta algo), confira se suas páginas e pessoas estão marcadas pra você receber as notificações, como mostra a imagem a seguir:


Sobre o autor

Dalmir

Dalmir

Dalmir Junior é fundador do Designers Brasileiros e Coordenador de Criação na Prefeitura de Franco da Rocha.

Comentários no Facebook