É possível escrever bem nas Redes Sociais - Cap.1 | Designers Brasileiros

Escrever está na moda. As novas tecnologias de comunicação ressuscitaram o valor da escrita. Quem faz uso das redes sociais percebe que nunca se precisou tanto da escrita correta quanto agora.

Este post tem objetivo de ajudar, você usuário dessa nova tecnologia, a escrever bem. Afinal, ensinar é tarefa para os professores. O post conta com dicas, roteiros e palavras chaves. Será divido por capítulos.

Cap. 1

Os teóricos pregam que o texto (encare texto como post, podcast, roteiro para vídeo, resenha, o que fizer parte da sua usabilidade cotidiana) deve começar respondendo, logo de cara, seis perguntas simples e fundamentais:

– O quê?

– Quem?

– Quando?

– Onde?

– Como?

– Por quê?

Em jornais, rádios, televisões, internet e nas novíssimas Redes Sociais, as notícias são apresentadas nessa estrutura direta. Willian Bonner abre o Jornal Nacional dizendo: “uma bomba explodiu no Afeganistão matando o presidente e 31 pessoas”.

Essa é uma fórmula fácil de reconhecer e serve de esqueleto para qualquer tipo de texto. Porém, quando se dispõe apenas de 140 caracteres, é preciso garimpar os dados.

Identificar a obviedade no meio a tantos dados, cobertos por milhares de detalhes é, infelizmente, a parte mais difícil.

O segredo para a obviedade é a arte de pensar. A habilidade de escrever bem é resultado da habilidade de pensar (pensar de forma lógica, ordenada e prática).

Quem nunca passou horas diante de uma tela em branco do computador em dúvida sobre o que escrever e por onde começar? Tanta dor tem uma causa. O texto passa a existir muito antes de tomar corpo na tela. Nasce primeiro, na cabeça. Para preencher a tenebrosa tela branca é necessário responder na ORDEM as seis perguntar listadas no começo do post.

DICA: gaste tempo pensando sobre o que você quer escrever, só depois, com um roteiro à mão, sente-se à frente do computador.

A fonte de onde brotarão idéias, frases inteligentes e conceitos estão no cérebro. Trace seus passos. Como? Abaixo daremos um roteiro:

1- Pense em um assunto no qual quer abordar.

2- Faça um resumo desse assunto. Seu objetivo será contar os detalhes de forma ordenada.

3- Responda as seis perguntas. Cada resposta não deve ultrapassar duas linhas. Escreva menos possível.

4- Enxugue o que foi escrito. Enxugar significa diminuir, cortar, mandar pras cucuias palavras e informações desnecessárias. Passe a tesoura sem dó nem piedade.

5- Leia e releia que foi escrito. Aproveite para checar as informações.

6- Divida o texto em partes. Cada uma aborda um tema referente à sua história principal, e claro, deve ter o próprio planejamento.

DICA: na dúvida de palavras e informação, procure confirmação em dicionários e livros de referência. Não se acanhe. É normal não se sentir seguro sobre um determinado item. Fontes sérias agradecerão o cuidado. Os leitores também.

O texto é feito para ser lido, entendido e apreciado. Escreva de olho no destinatário. Utilize linguagem clara e informações precisas. Dê passagem às frases curtas. O leitor só consegue dominar determinado número de palavras antes que seus olhos peçam uma pausa. Frases curtas diminuem os erros e torna o texto maia claro.

DICA: seja natural. Fique à vontade. Espaceje as frases com pausas e, sempre que couber, com perguntas diretas. Confira a seus textos um toque humano. Você está escrevendo para as pessoas. Seduza: vá direto ao assunto. Comece pelo mais importante. Use uma frase atraente.

Pam Ayala

Dalmir
Author

Dalmir Junior é fundador do Designers Brasileiros e Coordenador de Criação na Prefeitura de Franco da Rocha.

Comentários no Facebook