Designer com Síndrome de Down escreve ‘Guia de diagramação para um livro acessível’
Design Editorial Design Gráfico

Designer com Síndrome de Down escreve ‘Guia de diagramação para um livro acessível’

designer Fernanda Schacker

Fernanda Schacker, que tem Síndrome de Down, desenvolveu a pesquisa da qual resultou o livro e apresentou seu projeto na Feira do Livro de Porto Alegre

A designer Fernanda Schacker, graduada em Design Gráfico pela Ulbra Canoas, foi um dos destaques do III Fórum Municipal de Acessibilidade e Inclusão Social, realizado pela Prefeitura de Porto Alegre e integrante da programação da 62ª Feira do Livro de Porto Alegre. Na tarde de sexta-feira, dia 5, Fernanda apresentou a pesquisa desenvolvida para seu trabalho de conclusão de curso: o Guia de diagramação para um livro acessível, publicação ainda sem editora e de exemplar único que explica o passo-a-passo da produção editorial de livros que contemplam necessidades de leitores especiais.

“Desde criança, eu sempre tive muita imaginação e colocava muita criatividade na escrita. Sonhava em ser escritora e publicar um livro. Quando cheguei ao vestibular, escolhi design gráfico e aprendi todo o processo de produção de um livro. Como eu tenho Síndrome de Down e queria ajudar outras pessoas, criei o Guia”, explica a autora.

Livro criado por designer com Síndrome de Down
Publicação, ainda sem editora, explora recursos editoriais e gráficos para “levar a informação ao maior número de pessoas”, explica Fernanda

O guia, ainda sem editora, explora uma série de recursos editoriais e gráficos que, se aplicados conforme a proposta da designer, permitem a leitura por pessoas com diferentes graus de deficiências diversas. Por exemplo, a gramatura do papel é pensada para que a página não seja danificada no uso de recursos como virador de páginas com velcro, ou clipe de arame que mantém o livro aberto, usado por pessoas com capacidades reduzidas de manuseio. A aplicação do texto na página atende as necessidades de pessoas com dificuldades visuais, o que implica na escolha da fonte (a Verdana oferece melhor legibilidade porque diminui a confusão entre letras como p e q, ou i e j), além de regras sobre alinhamento e limites da caixa de texto.

O grande destaque do projeto, entretanto, é a sobrecapa que, se aberta, permite que o livro fique apoiado sobre abas rígidas num ângulo de 20º. Segundo a autora, a precisão foi alcançada depois de um estudo sobre a necessidade de pessoas impossibilitadas de segurar um livro, oferecendo autonomia para leitores com eventuais deficiências.

“O guia explica tudo sobre como um livro acessível pode ser criado de forma que leve a informação para o maior número de pessoas possível”, resume Fernanda.

via Feira do Livro POA

Sobre o autor

Dalmir

Dalmir

Dalmir Junior é fundador do Designers Brasileiros e Coordenador de Criação na Prefeitura de Franco da Rocha.

Comentários no Facebook