A efetividade das lives no Instagram em meio à pandemia | Designers Brasileiros

O Instagram é uma das redes sociais que mais cresce nos últimos tempos. Além de ganhar novos usuários dia após dia, a plataforma também está em constante atualização, com o objetivo de se adaptar aos novos modos de uso. Atualmente, o aplicativo que pertence ao Facebook é uma ótima opção de divulgação para marcas e empresas. Nele é possível utilizar dois formatos: imagem e vídeo. Em termos de alcance, performance e conversão, está muito à frente das postagens feitas com imagem, além de proporcionar diversas opções de formato. Durante a pandemia, um formato de post em vídeo específico está em alta: as transmissões ao vivo. Por esse motivo, o objetivo desse texto é mostrar quais são os benefícios de se utilizar esse formato atualmente.

Há alguns anos, as redes sociais já são parte bastante presente no dia a dia do ser humano. Mesmo em meio à correria do cotidiano, elas encontram um bom fragmento de espaço em nossa rotina. Agora imagine em um período como o que estamos vivendo, no qual, muitas vezes, tempo é o que mais temos à disposição. Desde o início do confinamento, o acesso às mídias digitais têm crescido consideravelmente e a produção de lives também. Para se te uma ideia, no mês de março, o primeiro da pandemia, o uso de lives no Instagram cresceu 70%.

O método surgiu como alternativa a artistas que, impossibilitados de fazer shows presenciais, viram no meio digital a possibilidade de realizar apresentações e, além disso, angariar fundos através de doações financeiras espontâneas feitas pelos expectadores. Além da escassez de apresentações ao vivo, existem outros pontos que colaboram para a boa performance dos vídeos ao vivo no Instagram.

NOTIFICAÇÃO AOS SEGUIDORES

Um ponto que você já deve ter percebido, como usuário de redes sociais, é que quando alguém inicia uma transmissão ao vivo no Instagram, todos os seguidores dessa pessoa são notificados instantaneamente. Logo, isso tende a ser bem mais efetivo do que a distribuição dos vídeos que estão no feed que é feita normalmente pelos algoritmos de distribuição. Não existe uma garantia de que todas as pessoas que receberem a notificação irão entrar para assistir à transmissão, mas quanto mais pessoas forem notificadas, maior a chance de ter uma boa audiência, não é?


PRATICIDADE PARA EXECUTAR          

Há anos o vídeo vem sendo o formato mais efetivo para se trabalhar nas redes sociais, mas ele sempre foi o mais complexo de se produzir. No início da década, para se ter um bom resultado, era preciso utilizar uma câmera profissional, um bom microfone e ter boas noções de edição. Com a evolução tecnológica, principalmente dos smartphones, hoje temos a solução para tudo isso na palma da nossa mão. Além disso, a live não necessita de edição, justamente por ser ao vivo. Outro ponto importante é que um formato mais “amador” é cada vez mais aceito no Instagram. Hoje, os smartphones têm câmeras potentes, o próprio microfone que está no fone de ouvido é bastante eficaz. Some isso a uma boa conexão de internet e você tem o que é necessário para realizar uma transmissão ao vivo.

INTERAÇÃO COM O PÚBLICO

As transmissões ao vivo são se restringem apenas a apresentações musicais. No momento em que estamos vivendo, muitas coisas são feitas por ali: aulas de academia, palestras, cursos, danças, bate-papo e muito mais. A transmissão ao vivo acaba criando um ambiente que propicia a interação da marca com o público. Assim como a transmissão, as mensagens enviadas pelas pessoas também são instantâneas, ou seja, ocorrem em tempo real e podem ajudar você a tornar seu vídeo ainda mais atrativo ao público, podendo, além de reter as pessoas que ali estão, trazer nosso expectadores que podem se identificar com o conteúdo que está sendo transmitido.

Muito se tem falado que o mundo migra muitas de suas atividades para o meio digital. Em meio a uma pandemia que acarreta em um confinamento, isso torna-se ainda mais evidente, mostrando que, cada vez mais, precisamos estar preparados para fazer as adaptações que os novos meios de consumo irão exigir de nossas marcas.

Comentários no Facebook