O que aprendi em 48 meses de Home Office | Designers Brasileiros

Em uma virada de ano recheada de expectativas tomei uma decisão que mudou minha vida profissional e pessoal definitivamente. Quatro anos depois reflito sobre os benefícios, dificuldades e equilíbrio em busca da produtividade no trabalho remoto.

Era fim de 2011. Em algumas horas 2012 chegaria com sua destruição completa — segundo uma interpretação do calendário Maia — ou simplesmente como mais um ano comum e tedioso. Eu tinha em mente que, se a segunda (e mais preocupante) opção se tornasse realidade, ao menos pra mim as coisas seriam diferentes. Em 2012 eu executaria meu plano de fuga de São Paulo nos mínimos detalhes:

Queria trabalhar como um Designer sem ter de morar na capital. Sem ter de perder preciosas horas no trânsito diário. Sem me enroscar em reuniões quase 40% do meu tempo no escritório, etc. Tudo correu como eu planejava e isso será tema de outro post.

Hoje trato do cotidiano do Home Office ou Trabalho Remoto. O que aprendi em 4 anos trabalhando assim e como ponho em prática esse aprendizado para continuar evoluindo.

Alguns benefícios do home office

Particularmente, sinto que produzo muito mais hoje do que quando ocupava a mesma posição interno no escritório. Acho que consigo me concentrar melhor nas tarefas, enrolar menos e encontrar resultados de forma mais concreta.

Sempre tive dificuldade em me concentrar em meio às centenas de conversas cruzadas de escritório, sem falar nas pausas pro cafézinho e bate-papos sobre a rodada do Brasileirão do fim de semana. Não pense que sou um cara anti-social, muito pelo contrário. Mas é fato que, no fim do dia, quando somados — esses minutinhos e aqueles outros em que você está tentando se concentrar no trabalho novamente — fazem uma enorme diferença na sua produtividade.

Outro ponto importante que acabo evitando são os excessos de reunião. Muitas delas são realmente produtivas e necessárias mas a maioria podia ser um e-mail bem claro ou uma lista de tarefas bem descrita. Dois textos falam bem sobre esse tema que parece afetar mais gente do que se imagina — Why work doesn’t happen at work de Jason Fried e A reunião que podia ser um email de Maurício Felício.

Como não perco tempo no trânsito diariamente minhas horas valem mais do que valiam antes, sem sombra de dúvidas. Este tempo que sobra acabado usando com estudos, escrevendo ou até me dedicando a projetos paralelo que me mantém mais motivado.

E o que piora?

home office user
Cuidado: trabalho remoto estressa!

Um dos principais malefícios que percebo acometer quem trabalha em casa é justamente o excesso de trabalho. Quando se trabalha entre sua cama e sua cozinha, é bem perigoso você sentir que está trabalhando a todo tempo. E isso, amigo(a), pode te deixar em um ponto de stress que vai arrebentar com os resultados de seu trabalho.

Além de afetar sua saúde, a prática do Home Office pode também afetar sua relação com os colegas de trabalho. O distanciamento acaba lentamente criando uma sensação de que você não é mais tão necessário na equipe, mesmo que não seja necessariamente verdade.

Para não deixar isto acontecer, geralmente fazemos muitas viagens e reuniões. Com isso, adicionamos o termo noites mal dormidas ao nosso quadro. É, sua saúde tende a piorar um pouco.

Em busca do equilíbrio

Espaço de trabalho

please animated GIF
Dá licença, estou trabalhando 😛

Cuidar bem de seu espaço de trabalho é o primeiro ponto importante. Existem muitos modelos de se trabalhar em casa mas é primordial que você planeje adaptar o seu afim de tirar o máximo de
proveito que puder da situação. Lembre-se que quanto maior for sua concentração e imersão no trabalho, melhor será sua produtividade. Com isso, um ambiente sem interrupções é o que você precisa.

Eu, por exemplo, tenho um quarto em casa apenas para isso. É meu escritório. Definitivamente uma extensão de meu espaço na empresa na qual trabalho. É um ambiente simples, com um sofá, uma prancha de planejamento, estantes para livros e uma bancada que toma toda a extensão do quarto, com meus computadores e aparelhos. Trabalho sempre de porta fechada e durante as calls chego a fechar janela dupla (metal e vidro.) Todas estas precauções em busca de isolamento e concentração.

É preciso esquecer que está em casa e resistir às tentações do local. Recomendo com veemência que você não trabalhe no mesmo ambiente de sua cama ou geladeira. Ambas distraem demais a gente 😛

Mindset

clip arnold schwarzenegger gear montage commandoQuando falo em mindset, falo naquele espírito produtivo que você se encontra quando está no meio de um projeto legal e não vê a hora passar. Busco sempre criar situações receptivas para que esse espírito me encontre trabalhando. Uma delas, é bem simples e curiosa.

Deixe seu pijama de lado e vista-se adequadamente para trabalhar. Parece bobagem à primeira vista mas o fato de usar roupas que usaria trabalhando fora te deixa mais concentrado nas tarefas e no horário. O fato de se trocar somente no fim do dia acaba marcando o fim de expediente.

Eu, particularmente, acordo bem cedo, uso jeans, camisa e sapatos (não tênis). Nada de chinelos, nada de bermuda, nada de regatas. Deixe desculpas como o calor ou frio de lado encontrando soluções. Em geral inventamos mil desculpas para nos mantermos na zona de conforto, saia dessa. Fará toda a diferença!

Relacionamentos

Como você está em casa, é possível que outras pessoas estejam por lá, ainda que temporariamente. Sua esposa, namorada, mãe, tia, avós e principalmente filhos podem comprometer demais a produção de quem trabalha em casa. Conheço muita gente que simplesmente não consegue trabalhar em casa por que não tem a colaboração de quem está por ali. O nível de interrupção pode ser tão grande que a pessoa prefere realmente voltar ao escritório formal.

A solução para este tipo de impasse é o diálogo aberto com os participantes de sua vida. É preciso ressaltar que você está ali a trabalho. Assegurar-se que durante o horário comercial não deve ser interrompido com questões domésticas. O ideal é que finjam mesmo que você não está ali.

É evidente que não há problemas em atender urgências, isso você também faz quando precisa sair do escritório por algum motivo superior. Mas atenção, não deixe que coisas cotidianas e corriqueiras se disfarcem de urgências para te confundir.

Respirando

Pareci escroto até aqui, certo? Um chato workaholic… que tal uma aliviada para tentar mudar essa aparência? Vamos falar daquela pausa pro cafézinho, pro bate-papo, pro cigarro — e se você ainda está nessa, para logo com isso, meu — se cuide!

Olivia Huynh animated GIFPenso que pausas são tão importantes quanto a ralação do dia-a-dia. Lembre que não somos máquinas e precisamos de uma aliviada de vez em quando. Mas essas pausas precisam ser bem pensadas. Ou se tornam apenas perda de tempo…

Recomendo sempre aproveitar bem seu horário de almoço. Feche seu escritório, saia dele e tente se desprender mentalmente do trabalho. Se tem co-workers em algum lugar, deixe claro que está em seu horário de almoço e não responda e-mails ou retorne pedidos no momento. Diga que volta do almoço em X minutos e resolverá de imediato a questão. Seja firme e as pessoas entenderão que você tem um processo. E pessoas inteligentes valorizam pessoas que tem processos produtivos.

É um assunto extenso, voltarei a ele no futuro falando de como tudo começou e quais as ferramentas online e off que me mantém mais seguro e produtivo.


Agradeço seus minutos de leitura. Se curtiu espalhe a palavra ou me mande um tweet de apoio ou questionamento, vai ajudar me motivando a escrever.
Tenha uma maravilhosa semana, até a próxima!

Henrique Foca
Author

Foca é um designer experiente, com mais de 10 anos na área. É Head of Design e Home Officer na RedPill.Digital, apaixonado por UI e o universo a sua volta. Está em Milão cursando Mestrado em Visual Design pela Scuola Politecnica di Design.

Comentários no Facebook